Desculpas?

Os nossos defeitos são sempre perdoáveis por mais patéticos que eles sejam, porém, continuamos saindo por aí com o dedo em riste, sobrancelha arqueada e garganta decorada de discursos depreciativos sobre os outros. Como fossemos nós os seres mais perfeitos do planeta, os que nunca erram, não cagam regras, não tratam os outros com arrogância. [...]